É assim que as narrativas mentais são formadas em seu cérebro

Somos todos histórias. Organizamos tudo o que nos acontece e damos significado através de nossas narrativas mentais. Então lembre-se, além do que acontece com você, o mais importante é como você interpreta.

As narrativas mentais são as histórias que contamos a nós mesmos sobre o que nos acontece. É o “eu” escrevendo para si mesmo e tentando dar sentido a cada experiência. É a mente que fornece uma estrutura lógica e coerente a cada acontecimento para que cada detalhe tenha sua transcendência no baú da memória.

O psicólogo Jerome Bruner foi o primeiro a nos falar sobre o poder cognitivo da autonarrativa. Segundo ele, as pessoas estão dando sentido e direção a cada evento e experiência como o escritor que constrói uma história. De alguma forma, o que fazemos é ordenar o caos, o surpreendente e até o incerto. Dar sentido a cada experiência é uma necessidade natural do cérebro.

Da mesma forma, recorrer à elaboração dessas narrativas também facilita a memória. Cada cena, sensação e experiência que se organiza em nossa mente seguindo um fio condutor acabará fazendo parte de nossa memória autobiográfica.

Cada um de nós é o resultado de uma história, é verdade, mas essas histórias são, antes de tudo, processos mentais, internos e subjetivos. Vamos nos aprofundar um pouco mais neste tópico.

Narrativas mentais, um elemento-chave do cérebro

O interesse da neurociência pelas narrativas mentais é muito recente. À medida que avançamos na compreensão da memória, sem dúvida foi necessário integrar essa perspectiva. Aquilo em que a pessoa une algumas experiências com outras para interpretá-las e, então, dar-lhes um significado. Porque é assim que seremos capazes de fixá-los na memória.

Brendan Cohn-Sheehy, pesquisador da Universidade da Califórnia e sua equipe, publicou um estudo sobre esse assunto há um ano. Como ele mesmo explicou em entrevista coletiva, precisamos construir narrativas coerentes para poder lembrar os detalhes de cada evento. Tudo o que não se integra a uma história mental é relegado ao esquecimento…

O próprio Jerome Bruner já indicou isso em seu livro Mental Reality and Possible Worlds. Seu legado foi uma revolução na psicologia cognitiva, pois, pela primeira vez, alguém nos trouxe outra faceta da mente. Nosso universo mental não se limita apenas a testar hipóteses, analisar ou contrastar. Também somos construtores de narrativas tentando dar sentido ao que nos acontece.

“Em nossas mentes narrativas também incluímos percepções sobre o que pensamos que os outros pensam sobre nós.”

O hipocampo, a região que dá coerência à vida

Se usarmos a metáfora do cérebro como um símile de um computador, poderíamos dizer que o hipocampo é o disco rígido. É aquela área em que as memórias e os processos de aprendizagem se consolidam. Também lida com a regulação dos estados emocionais e é fundamental na memória espacial.

Agora, a pesquisa do Dr. Cohn-Sheehy e sua equipe destaca mais um recurso. O hipocampo é a região que facilita a coerência de nossas narrativas mentais. Ou seja, favorece e organiza a união de todas as peças de uma história. Porque quanto mais coesa for uma narrativa, melhor ela será integrada à nossa memória.

Da mesma forma, não podemos deixar de fora um detalhe. Precisamos lembrar do nosso passado para organizar o presente. Para que nossa história de vida seja integrada de forma lógica e significativa, devemos usar o ontem para que qualquer narrativa seja coerente. Coerente com nossa identidade, nossa trajetória, nossas experiências e nossa personalidade.

O cérebro é seletivo e também enganoso

O eu, explica Jerome Bruner, é o produto de um processo narrativo em que as pessoas combinam o que nos acontece com o que dizemos a nós mesmos. Mas tenha cuidado, porque também incluímos o que – em nossa opinião – os outros pensam de nós. Neste ponto, obviamente, nem sempre estamos certos.

E mais, Dr. John. Drummond (2004) explica algo importante em sua obra Cognitive Impenetrability and the Complex Intentionality of the Emotions. As narrativas mentais são seleções de nossa existência que capturamos a posteriori para lhes dar sentido. Em outras palavras, a história de nossa vida nem sempre é um reflexo milimétrico do que nos aconteceu, mas de como o interpretamos.

Às vezes, damos um significado claramente negativo a certos fatos. Basta ser dominado por emoções de valência negativa para filtrar e distorcer a realidade. O cérebro não é apenas seletivo, mas às vezes tende a distorcer o que vê com base no seu humor e tipo de personalidade.

Os seres humanos ordenam a realidade como uma história. No entanto, essa história será mais ajustada ou artificial dependendo do nosso jeito de ser e das emoções que nos dominam naquele momento.

Narrativas mentais e diálogo interno

As narrativas mentais são como os filmes que cada um de nós roteiriza sobre tudo o que nos acontece. Nós somos os atores, os roteiristas e o próprio diretor. E isso nem sempre é bom.

Michael White e David Epson, criadores da terapia narrativa, nos dizem que às vezes as pessoas são limitadas por uma narrativa dominante claramente prejudicial.

A origem desse desconforto ou infelicidade estaria quase sempre em nossos “arquivos” familiares. Nessas primeiras experiências e num ambiente que nos encorajou a criar uma história dolorosa. Desde então, não conseguimos avançar e estamos presos nesse capítulo que nunca termina.

Nesse caso, o trabalho terapêutico busca que a pessoa se conecte com outras experiências que, talvez, tenha deixado de lado ao construir sua história. É sempre possível abrir outras portas para criar novas experiências e dar-lhes um significado mais positivo e enriquecedor. No entanto, a voz do nosso “eu” é fundamental lá.

O diálogo interno é o escultor de nossas histórias e quem deve moldar narrativas mentais mais saudáveis e brilhantes. Porque além do que nos acontece, é como interpretamos. Fazer isso de maneira resiliente e esperançosa sempre nos beneficiará.

FONTE: https://amenteemaravilhosa.com.br/e-assim-que-as-narrativas-mentais-sao-formadas-em-seu-cerebro/

Compartilhe esse post

Dúvidas? Ajuda? Fale Conosco!

Ficaremos felizes em ajuda você. Contate-nos

Mais Posts

Quer fazer uma Consulta?

Click no botão abaixo